31 de jul de 2009

Série Especial - Jornalistas da TV

Olá, boa noite, tudo bem? Boa sorte!

Paulo Henrique já faz parte da história da televisão brasileira e a televisão já faz parte da história de vida do jornalista, o seu estilo diferenciado já passou por quase todas as emissoras de TV do País, nascido em 1942, o carioca filho de um estudioso do espiritismo, fez sua primeira cobertura no Jornal A Noite do RJ em 1961.

Sua carreira é marcada por grandes coberturas, entre elas: a eleição de Clinton no Estados Unidos, a guerra Civil de Ruanda, terremotos, entre outros. Na Rede Globo apresentou telejornais, mesmo papel que ele desempenhou na Band, na emissora Paulista além da apresentação do principal jornal, Paulo também apresentou o programa Fogo Crusado entre 1997 e 1999, depois disso outra passagem rápida, agora pela TV Cultura, no canal público apresentou o programa de entrevistas Conversa Afiada.

Em 2003 Paulo Henrique Amorin assina com Rede Record, no começo apresentou a segunda edição do Jornal da Record que era exibido no final da noite, mesmo horário de outro telejornal que Paulo Henrique apresentou, chamado Edição de Noticias.

Na foto acima você acompanha o jornalista no informativo Tudo a Ver, formato que ele mesmo criou e apresentou, o programa era exibido no finais de tarde da Record.

Em 2006, Celso Freitas é convocado para apresentar o novo jornal da emissora e Paulo Henrique assume o comando do Domingo Espetacular (revista exibida nas noites de domingo da Record). Atualmente, além da apresentação do Domingo Espetacular, ele também escreve artigos para a Revista Carta Capital.

No portal IG ele mantinha o blog Conversa Afiada, durante mais de dois anos, dentro do blog o jornalista assinava um espaço chamado "Não coma gato por lebre", nessa coluna, Paulo deixava claro suas preferências, preferências essas que segundo ele foram os principal fator que levaram o portal IG a retirar seu blog do ar no dia 18 de março do ano passado, poucas horas depois, ele relançava o blog, agora dentro do seu site pessoal.

No ano de 2005 publicou o livro "Plim-Plim: A peleja de Brisola contra a fraude eleitoral", o livro denuncia a suposta manipulação da Rede Globo nas Eleições do RJ em 1982. Desde então o jornalista é usado pela Record para fazer campanhas institucionais onde a emissora mostra seu próprio crescimento e a queda de audiência de sua principal concorrente (Rede Globo), além de gráfico e denuncias, a emissora coloca em pauta o passado duvidoso da emissora da família Marinho.

29 de jul de 2009

Série Especial - Jornalistas da TV


Ele já foi à polêmica
Francisco Roberto Cabrini tem 28 anos de carreiras tem um jeito só teu de fazer jornalismo, aos 16 anos, Cabrini já trabalhava em uma rádio no interior de SP, um ano depois Cabrini é contratado pela Rede Globo e consequentimente se torna o mais jovem repórter do jornalismo de rede da TV Globo.
Roberto foi correspondente internacional da Rede Globo em Nova York (quatro anos) e Londres (quatro anos), é responsável pela cobertura de seis guerras ao longo de sua carreira, entre elas, Afeganistão, Palestina e Iraque.
Ele também é reconhecido pelas grandes reportagens investigativas, participou ativamente das coberturas dos casos que pararam o Brasil, ele é dono de prêmios como Vladimir Herzog, APCA, Imprensa, entre outros.
Depois da Globo, Cabrini foi contratado pelo SBT onde atuou por um breve período, em seguida retorna a Rede Globo e depois segue para a TV Bandeirantes. Na Band Cabrini realiza um grande trabalho, além de faser reportagens investigativas, sua grande caracteristica, Cabrini se torna apresentador do Jornal da Noite, telejornal exibido nos finais de noite da emissora.
Depois de muitas investidas, os bispos da Rede Record conseguem levalo para a emissora, hoje Cabrini apresenta o novo Repórter Record nas noites de domingo, o programa é responsável por uma das maiores audiências da emissora, em torno de 20 pontos no Ibope.

Roberto Cabrini teve muitos altos em sua carreira, foi ele o primeiro jornalista a noticiar a morte do ídolo e piloto brasileiro Ayrton Senna em maio de 1994 e foi também o primeiro a realizar entrevistas exclusivas com Collor PC Farias. Além dos pontos altos, Cabrini teve seu ponto mais baixo no ano passado, mais precisamente no dia 15 de abril, o jornalista estava com uma mulher em seu carro, quando ele foi detido, a Polícia Civil de SP o acusou de porte de drogas e revelou que o jornalista estava com dez papelotes de cocaína. Cabrini se defendeu e disse em depoimento que foi vitíma de uma armação de uma de suas "pautas", na época o caso foi noticiado no Jornal Nacional, Roberto já era contratado da Rede Record que por sua vez cedeu seu departamento jurídico para o caso, ao final Cabrini foi absorvido.

28 de jul de 2009

Emissoras entram no Twitter

O crescimento do microblog fez com que as emissoras de TV do Brasil descobrissem que o site pode ser uma maneira de se aproximar de seus telespectadores.
O crescimento do site é impressionante, o país já é líder em acessos ao serviço, cerca de 15% dos internautas brasileiros já acessaram o Twitter. As emissoras pegaram carona no sucesso e usam o site para divulgar a programação.
Assim como na TV, a guerra entre as emissoras do país também esquenta na internet, principalmente entre Rede Record e SBT, a diferença entre as duas emissoras no número de seguidores é ainda menor do que a diferença em audiência na TV.
Em primeiro lugar aparece a Rede Globo com quase 35 mil seguidores, a Rede Record é vice também na internet com quase 15 mil contra os quase 12 mil do SBT.
Já no quarto lugar, uma surpresa, a TV Cultura vence fácil a Band, a emissora pública tem quase 9 mil seguidores contra apenas 2 mil da Band.

Série Especial - Jornalistas da TV

Isto é uma vergonha
Boris nasceu no dia 13 de fevereiro de 1941, isso mesmo, Boris tem quase 70 anos e mesmo assim, ainda apresenta o Jornal da Noite todos os dias no começo das madrugadas da Band.

Boris Casoy e sua irmã gêmea são os caçulas de cinco filhos que seu pai e sua mãe tiveram ao longo de suas vidas, quando pequeno Boris teve uma doença chamada Poliomielite, até então não existia vacina para essa doença, dos dois aos nove anos, Boris praticamente não andou, sua única diversão era ouvir o rádio. Aos nove anos Boris é operado nos Estados Unidos e em seguida retoma os movimentos.

Casoy estudou nos colégios Stanfford e Mackenzie, quando adulto Boris até chegou a frequentar o curso de direito da Universidade Mackenzie, mas aos 15 anos, o futuro jornalista começou a trabalhar em uma rádio chamada Eldorado, tudo isso em 1956.

Em 74, ele ingressa na Folha de São Paulo, depois de poucos meses falando de política no jornal, Boris é promovido a editor chefe. Dois anos depois aceita o convite para administrar a Escola de Comunicação e a FAAP.

Um depois ele retorna a Folha, só que agora para escrever a coluna Painel, espaço que abordava os bastidores do poder político brasileiro.

Casoy é literalmente um velho conhecido do público, começou na TV em 1961, no programa Mosaico da TV na extinta TV Manchete, em 88 a mudança para o SBT, onde apresentou o TJ Brasil, ele permaneceu no cargo até 1997 e em seguida assina com o a Record para comandar o o principal jornal da emissora (Jornal da Record).

Permanecendo na Record até no ano de 2005 quando o contrato é rescindido, em comum acordo. Na época a emissora alegou que o jornalista não concordava com as inovações no jornalismo, já que a emissora dava inicio ao projeto "caminho da liderança", já Boris afirmou em entrevista que o PT foi o responsável pela sua saída.

Em 2007 Boris retornou a telinha, em uma TV chamada TVJB, ele fica no ar de abril até setembro do mesmo ano, a apresentação do Telejornal do Brasil foi cancelado junto com a emissora que saiu do ar também. Ainda no mesmo ano Boris comandou o Casoy Music na TV Guaíba, que também já foi extinta.

No ano passado o namoro de Casoy com a Band termina em casamento, o novo contratado assumi o posto de Roberto Cabrini no Jornal da Noite, atualmente Boris também comanda um informativo na Rádio Band News.

27 de jul de 2009

O Jornalismo de Silvio Santos

O SBT é a emissora que menos investe na área
Nos últimos tempos Silvio Santos contratou de um só vez a apresentadora Eliana, o apresentador Roberto Justus, o autor de novelas Tiago Santiago e o diretor artístico Paulo Franco, todas essas negociações e quebras de contratos tem um preço: R$ 100 milhões, até 2012.


Em quanto à linha de shouws e as novelas recebem grandes investimentos, o jornalismo da emissora recebe quase nada, pela manhã é exibido o Jornais do SBT- Manhã, que por sua vez é gravado e editado ainda na madrugada, depois disso o outro telejornal em rede só entra no ar depois das 21h, o SBT-Brasil é apresentado por Carlos Nascimento (foto), ele é o jornalista mais bem pago da televisão brasileira, ele tem a difícil missão de encerrar o jornal junto com a novela das nove da Globo.

Como se não bastasse o SBT tem outro problema, suas afiliadas produzem reportagens com pouca qualidade, o que dificulta a exibição delas em rede, ou seja, o jornal fica em cima das noticias de SP e RJ.

Ao contrário do SBT, outras emissoras investem pesado na informação, a Record, por exemplo, lançou a pouco tempo o canal Record News, esse mês contratou a jornalista Mylena Ciribelli e Ana Paula Padrão que por sua vez foi à responsável pela reestruturação do jornalismo do SBT.

Esse mês a emissora lançou o "novo" Jornal da Record, além da estréia da Ana Paula, o jornal contou com novos estúdios, vale lembrar que a Record é a emissora com mais correspondentes fora do país.

Já a Rede Globo é reconhecida pelo seu imparcial, tradicional e qualificado jornalismo, além de pequenas mudanças em seus jornalísticos que ficaram mais dinâmicos e "conversados", a Globo prepara em sigilo a nova redação do Jornal Nacional em comemoração aos seus 40 anos.

No SBT o jornalismo é simplesmente esquecido, além de programas que não anunciam os jornais da casa, existem poucas chamadas na grade e quase nenhuma entrada ao vivo e é claro que ainda existe a velha conhecida história do "depois da novela da Globo" o que desmoraliza qualquer jornal ou profissional.

Especialistas em televisão afirmam que o próximo ataque de Silvio Santos à Record, terá foco no jornalismo, o objetivo é fortalecer o setor que há que a muito tempo não agrada o dono em audiência, vale lembrar que Silvio já tentou levar Celso Freitas e Adriana Aráujo, mas as conversas se encerraram quando ambos renovaram seus contratos com a Record.

Série Especial - Jornalistas da TV


A mudança depois de 25 anos de carreira
O amor pelo o esporte começo cedo e veio de casa, seu pai era corredor, além disso, Mylena adorava volêi, só não investiu no esporte pela altura, 1m65cm não eram suficientes para o esporte. Carioca, nascida no dia seis de novembro de 1967, Mylena cresceu em Niterói e começou cedo sua trajetória na comunicação, em 1983 entrou para a Rádio Fluminense.

Dois ano depois, aos 17 anos de idade, Mylena vai para a extinta TV Manchete onde apresentou o programa Som Maior, a convite da Rede Globo ela passa a apresentar o programa Esporte Espetacular a partir de 1991, além do dominical, Mylena também foi títular do Globo Esporte, programa exibido nos íncicio de tarde da emissora carioca.

A jornalista foi contratada da emissora por 18 anos, durante esse período Mylena quase não viajou, sua única cobertura esportiva foi a Copa da França em 1998, talvez esse seja um dos principais motivos que a fez não renovar contrato com emissora em maio deste anos, dias depois a Rede Record anunciou sua contratação a imprensa, ela integrara o núcleo olímpico da Record e é claro já assumiu o comando do Esporte Fantástico, considerado por muitos, a cópia da revista esportiva de sua antiga emissora.

Aos 41 anos de idade, a nova apresentadora da Record, sai do estúdios em São Paulo e viaja pelo mundo para fazer reportagens especiais sobre o esporte.

26 de jul de 2009

Série Especial - Jornalistas da TV

Profissão Barcellos
Desde criança Cláudio Barcelos de Barcelos convive com a violência, nascido no dia cinco de março de 1950, Caco cresceu na periferia de Porto Alegre, antes do jornalismo, Caco exerceu varias profissões, entre elas, a principal, a de taxista. Iniciou sua carreira ainda no Sul do País no jornal Folha da Manhã, participou da criação da Cooperativa dos Jornalistas de Porto Alegre e atuou na revista Versus especializada na América Latina.Suas passagens pelas revistas Isto É e Veja foram emendadas na sua ida para a Rede Globo, no grupo, apresentou durante seis anos um programa semanal na Globo News (canal de noticias da Globo), atuou também como correspondente internacional em Nova York e em 2001 passou a ser correspondente em Londres.

Sua volta ao Brasil foi marcada por muitas investidas da Rede Record, Caco chegou a conversar com diretores e bispos; em resposta a Globo criou o Profissão Repórter, quadro jornalístico do Fantástico que depois do sucesso de um especial de fim de ano se tornou fixo na grade da emissora. Alem do reconhecimento televisivo, Caco também faz sucesso com suas publicações, ele é autor do livro Abusado, o dono do morro Dona Marta, livro que relata os bastidores do trafico carioca, é também autor do livro Nicarágua: a Revolução das Crianças (primeira obra).

Mas nenhum dos livros citados acima superam o Rota 66, o livro levou a identificação de mais de 4.000 vitimas em todo país, o livro denuncia a policia “podre” de São Paulo.Rota 66 levou oito anos para ser publicado, oito anos que podem ser traduzidos em uma pesquisa detalhada e reveladora, que por sua vez irritou muito os poderosos da policia Paulista.

Em 2007, uma nova empreitada, Caco Barcellos escreve sua primeira peça de teatro, intitulada Osama, Homem Bomba do Rio, a peça foi escrita para o projeto conexões, do National Theatre of London.Seus Livros ganharam dezenas de prêmios: Prêmio Vladimir Herzog, prêmio Jabuti em 1993 pelo livro Rota 66, em 2004, outro prêmio Jabuti com o livro Abusado, pelo site Comunique-se recebeu o prêmio de melhor correspondente em 2003 e 2005 e nos anos de 2006 e 2008 foi eleito o melhor repórter da televisão brasileira.

Jornal Cobaia: Cama, Banho e Sex Shop

Mulheres abandonam o tradicional "Papai e Mamãe" e afirmam que o diferente é ainda mais prazeroso
Consumidora compulsiva de produtos eróticos há cerca de cinco anos, a esposa e mãe, Pâmela C. entrou no mundo das fantasias sexuais por diversão. “Meu marido adora quando eu uso fantasias como a de enfermeira” revela. Ela já chegou a comprar cremes estimulantes, algemas e até chicote, além de ter gasto 160 reais em um vibrado a prova d’água, “Muito bem pagos, por sinal”.
O companheiro de Pâmela aprova as loucuras da mulher. Assim como o casal, muitas pessoas acabam descobrindo que acessórios eróticos podem apimentar a vida entre quatro paredes. Entretanto, há quem busque tratamentos ligados ao psicológico para resolver os problemas na cama. Independente da forma utilizada, o importante é melhorar o desempenho sexual.
A Clínica Vitalitá, localizada em Balneário Camboriú, recebe frequentemente pessoas em busca de ajuda para resolver problemas na vida sexual. A sexóloga Rita Salgado, que trabalha há mais de 20 anos na área, aponta que na maioria dos casos as disfunções relatadas são as mesmas. A falta de desejo, a incapacidade de chegar ao orgasmo e a impotência sexual são casos recorrentes no dia-a-dia de sua profissão.
Rita utiliza de técnicas de psicoterapia sexual para resolver esses distúrbios de casais e de indivíduos sozinhos. Para ela, o princípio de todo o tratamento é a conversa. É nesse ponto que a profissional detecta qual o foco da insatisfação.
Conforme a sexóloga, casais jovens também sofrem com distúrbios sexuais. Os problemas do dia-a-dia, como os filhos e o estresse são as justificativas mais frequentes. Além disso, a pornografia na Internet vem sendo outro vilão no desempenho sexual dos homens. Essa nova prática permite que eles não se envolvam emocionalmente com outras pessoas e ainda assim obtenham a auto satisfação, “Eles são egoístas,” justifica Rita.
Não são apenas as mulheres casadas que buscam apimentar a vida sexual. A estudante de 19 anos, Eduarda (trocamos o nome para preservar sua identidade), namora há quase dois anos e também utiliza vários artifícios para agradar ao namorado e a si mesma.
Ela não tem dúvidas quanto ao efeito das fantasias, possui cerca de sete modelos diferentes, entre eles o de faxineira e policial. Eduarda já comprou calcinhas comestíveis, mas não recomenda, “Elas são muito enjoativas”. Há também as bolinhas que estouram liberando aromas e sabores, “O único problema era ir ao banheiro e sentir o cheiro framboesa durante dias”.
A última aquisição da jovem foi um livro sobre pompoarismo, técnica antiga que consiste em contrair e relaxar os músculos da vagina proporcionando maior satisfação sexual. Ela afirma que o namorado já notou algumas diferenças. Ela acredita que os homens são muito mais ligados ao sexo que as mulheres. Por esse motivo, ela reforça a tese de que buscar alternativas que agradem o casal é uma forma de impedir que o homem vá buscar formas de obter prazer fora do relacionamento. Entretanto, sem submeter-se a situações que possam não ser do agrado de ambos.
Tanto Pâmela quanto Eduarda acreditam que utilizar os produtos eróticos pode apimentar e melhorar a vida sexual, sem que haja uma rotina. A consumidora Pâmela deixa uma dica para quem não conhece esse mundo: “As pessoas não sabem o que estão perdendo”.
A sexóloga ressalta, ainda, que a procura constante de ambientes e acessórios eróticos como única forma de melhorar a relação pode ter efeito oposto. O indivíduo pode tornar-se mais isolado e buscar, apenas, a auto-estimulação. Esses utensílios podem suprir a falta de libido do casal. No entanto, só serão benéficos quando utilizados de forma equilibrada.

Inauguração

A partir de hoje, todos os dias, a qualquer instante, nós vamos nos encontrar aqui, nesse nosso novo espaço de bate papo. A partir de agora eu assumo um compromisso com você, o compromisso de divertir, de informar e de falar e opinar sobre o dia a dia. Nesse blog falaremos de tudo um pouco, é claro que o foco será os meus assuntos preferidos, ou seja, televisão, as principais noticias do dia e muito jornalismo, mas também haverá espaço para opinião, assuntos polêmicos e é claro muita variedade.

E para essa semana de estréia eu preparei uma série de pequenas bibliografias de alguns dos principais jornalistas da televisão brasileira e para começar você ira acompanhar a história de Caco Barcellos, o líder dos jovens jornalistas do programa Profissão Repórter da Rede Globo.

Quero dizer que estou com muito orgulho desse blog, conto agora com você, com a sua participação e a sua parceira, mande comentários sobre os textos aqui publicados, participe das enquetes, mande sugestões de pauta, elogios e criticas por email, enfim, sejam bem vindos ao meu blog.