31 de mar de 2011

Notícias

Na última terça-feira, um homem invadiu uma transmissão ao vivo do "SPTV" da Rede Globo. Veja o vídeo:


Durante um evento realizado no Teatro Alfa em São Paulo, a Rede Globo apresentou sua programação para 2011.

Destaque para o jornalismo. Na segunda temporada do “Globo Mar”, os repórteres Ernesto Paglia e Glenda Kolzloswki vão mostrar a vida de pessoas que vivem das riquezas do mar.

O “Fantástico” vai ganhar novos quadros e o "Profissão Repórter" uma nova equipe. Já o “Jornal Nacional” vai continuar com o avião do quadro “JN no Ar”.

Além disso, a Rede Globo vai regionalizar as notícias no portal G1. A meta da emissora é lançar 12 novos sites até o final de 2011.

Agora vai. Nesse sábado, às 14h30min, a RICTV Record de Itajaí estreia o “Esporte Geral”.

30 de mar de 2011

Millena Machado é a nova contratada da Rede Globo

Millena Machado (foto) trocou a Band pela Rede Globo essa semana. Além de apresentar o “Jornal da Band” aos sábados, a jornalista também participou de grandes coberturas na emissora. Ela estava no Grupo desde 2005.

A contratação foi oficializada nesta segunda-feira. Ainda não há previsão para o início dos trabalhos na nova casa. Até agora, a única certeza é que Millena Machado vai permanecer afastada do vídeo para que o público desassocie sua imagem à Band.

26 de mar de 2011

O "menininho" da RICTV Record

No jornalismo, a expressão “Foca” é usada para nomear o profissional recém-formado e/ou inexperiente. Já na RICTV Record Itajaí, a expressão escolhida para batizar o novato (eu) foi “Bebê”. Isso mesmo! Graças à criatividade da repórter Juliana Soares (foto), sou chamado pelo apelido todos os dias. Como se não bastassem às gracinhas na redação, a minha idade também é motivo de risadas na rua.

Esse mês, por exemplo, eu e o cinegrafista Luiz Henrique (foto) fomos até a Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú para a gravação de uma sonora. Chegando lá, a secretária do entrevistado afirmou que ele estava atrasado. Até aí tudo bem. O problema é que para apressar o vereador, ela resolveu ligar para ele. Durante o telefonema, ela disse:

- Vereador, o menininho da RIC já está aqui!

Menininho? Como assim? Depois que ouvimos isso, eu e o cinegrafista começamos a rir e um grupo de pessoas que estava na recepção do gabinete também. Foi hilário!

25 de mar de 2011

Rede Globo lança novo cenário para programas de esporte

Nesse domingo, a Rede Globo estreia o novo cenário do “Esporte Espetacular”. A partir de agora, todos os programas de esporte da emissora serão gravados ou exibidos ao vivo no mesmo cenário. As praças de SP e RJ também foram incluídas no projeto.
O estúdio será adaptado de acordo com as necessidades de cada uma das atrações. O lançamento ocorre às 10h, antes do jogo Brasil x Escócia e vai reunir todos os apresentares esportivos da casa.

Em tempo
O jornalista da Rede Globo Tiago Leifert (foto) deixou o Twitter nessa sexta-feira. Segundo informações do Portal Imprensa, a saída foi motivada pela pressão dos seguidores. O apresentador do “Globo Esporte” se despediu com a seguinte mensagem:

- Vou dar um tempo do twitter pq o nível de discussão está baixíssimo e minha paciência curta. Não quero perder a linha. Até mais.

22 de mar de 2011

Notícias do jornalismo

Neste sábado, a RICTV Record de Itajaí estréia às 14h30 o "Esporte Geral". O programa será apresentado pelo mais novo contratado da emissora, Wilson Lima. As matérias são de Marcelo Nunes (foto), o repórter também está de casa nova. Não perca!

Na última segunda-feira, o "Jornal da Globo" da Rede Globo sofreu com vários problemas técnicos. Durante a edição, o apresentador William Waack chamou um intervalo comercial forçado. Veja o vídeo:

Boriz Casoy espirra ao vivo na Band

Após um comentário no "Jornal da Noite" da Band, o jornalista Boris Casoy acabou espirrando ao vivo. Em seguida, ele disse:
- Espirrei. É humano! Veja o vídeo:

18 de mar de 2011

Notícias do jornalismo

Nesse domingo, o programa “Esporte Espetacular” da Rede Globo estréia a terceira temporada do quadro na “Estrada com Galvão”.

Mundança: o departamento de jornalismo da Rede Record promete novidades para o programa “Domingo Espetacular”.

Em Itajaí, a sucursal da TVBV - Band ganhou uma nova repórter essa semana. Ediane Souza é acadêmica de jornalismo da Universidade do Vale do Itajaí – Univali e vai substituir a jornalista Rafaella Reinert pelos próximos 15 dias.

Após a saída do jornalista Luiz Gonzaga Mineiro, o departamento de jornalismo do SBT continua sem chefia.

Novidades no Grupo RIC. Os primeiros equipamentos para a transmissão digital da RICTV já estão em Florianópolis. A emissora da capital trabalha desde o ano passado para a instalação da nova tecnologia.

13 de mar de 2011

Entrevista: Juliana Senne

Nascida em Balneário Camboriú, Juliana Ariana de Senne Corrêa cursou jornalismo na Universidade do Vale do Itajaí – Univali e se formou em julho de 2008. Aos 26 anos de idade, ela é coordenadora de jornalismo da TVBE de Itajaí, onde apresenta a segunda edição do “Jornal da TVBE”.

DM: Como é a sua rotina de trabalho na TVBE?
JS:
Trabalho há mais de quatro anos lá. Hoje comando o departamento de jornalismo da emissora, com uma equipe de estagiários, editores, apresentadores e com um comentarista político. Sou responsável por fazer roteiros dos programas jornalísticos da casa, também assumo o conteúdo editorial e faço a correção das matérias após o processo de edição. Gosto do trabalho na TVBE porque acredito que temos um caráter bem comunitário, de assistência social, sem deixar de lado o fato... a informação, fundamentais no jornalismo. Também temos uma grande aproximação e identificação com o telespectador que nos liga, manda e-mails e ainda vem à recepção da emissora para dar sugestões de pauta. É muito bacana saber que o jornalismo também pode funcionar como uma ferramenta de ligação entre a população e o poder público.

DM: Quando você descobriu que queria ser jornalista?
JS: Não sei dizer quando, mas fiz uma reflexão sobre isso há alguns anos. A resposta talvez tenha relação com uma brincadeira de infância. Eu brincava de fazer jornalismo usando um rádio gravador, lia notícias e depois escutava as gravações. Lembro que usava uma fita velha que ganhei junto com uma boneca da Angélica. Era um “Jornal Nacional” feito por duas meninas. Antes o jornal, depois partes que sobraram da música “Vou de Táxi” (risos).

DM: E a família, foi contra sua escolha?
JS:
Minha família não interferiu em minha escolha profissional, mas com exceção do meu pai, todos os outros membros da casa mostraram receio pela profissão. Acredito que na opinião da grande maioria, ser jornalista é para poucos. Dentro da minha família, o jornalista tem status social de inteligência e respeito. Em outras palavras a preferência era por carreiras tradicionais como advogada e professora.

DM: Juliana, você disse que já está a quatro anos na TVBE. Em quais outros veículos você já trabalhou?
JS:
Já trabalhei no jornal Diário da Cidade, Rádio Univali, Rádio 106,7 e também na TV Univali. Foi uma experiência maravilhosa porque aprendi a ter qualidade no texto televisivo, convivi com ótimos e competentes profissionais. Foi importante, mas percebi que meu perfil era para jornalismo diário, na rua, com aquela rotina onde às vezes fica difícil até mesmo um café no fim da tarde.

DM: Você falou em aí em preferências, mas qual é a sua reportagem preferida?
JS: Sou bem eclética, mas gosto de pautas com assuntos polêmicos e policiais. Mas também sou criativa na editoria de economia. Acho que as melhores reportagens são as que você tem tempo e chance de criar, explorar o assunto de forma atrativa. Às vezes até mesmo um simples buraco de rua ou um incêndio no porto podem sair boas reportagens. Tudo depende do repórter.

DM: E conta para os leitores: até hoje, qual foi a sua maior gafe na TV?
JS:
Tive muitas gafes cômicas! Uma que me recordo foi de uma ocorrência policial que cobrimos. Fomos ao local fazer a pauta com pressa porque tínhamos mais uma reportagem em andamento, era a terceira da tarde. Na saída do local, onde foi encontrado um desmanche de carros, estavam vários curiosos (moradores e pessoas que passavam pelo local). No caminho até o carro eu deixei o salto do sapato preso em uma lajota. Tive que conter o sorriso envergonhado. Também ocorreu uma gafe ao vivo! Na minha primeira apresentação do telejornal da manhã da TVBE eu abri uma nota do Diarinho para ler, mas não deu tempo de modificar o texto porque voltamos do intervalo. Sofri horrores porque tinham cinco palavrões em cada parágrafo. Enfim, tenho muitas histórias (risos).

DM: O que você ainda deseja dessa profissão para o futuro?
JS:
No campo do profissional eu não sonho, mas traço metas. Desejo poder ter a chance de voltar às ruas e fazer cada dia uma reportagem diferente. Continuar na profissão, superando meus limites, manter o processo de reciclagem e saber que sempre pode surgir a melhor reportagem, um novo furo, um elogio por um trabalho bem feito. É isso que desejo, fazer jornalismo como um padeiro faz o seu pão. Sem rodeios, fazer o que eu realmente gosto.

DM: E para terminar, uma mensagem para os leitores do blog em relação ao jornalismo.
JS:
A mensagem que deixo é para os que estão interessados em seguir essa carreira. O jornalismo é fascinante, mas atenção: também é um bichinho que te consome todos os dias. Quem é jornalista sabe que vive a profissão 24 horas. Acorda pensando em pauta e dorme avaliando como foi à produção do dia. Realmente uma profissão para os amantes e não para telespectadores! Hoje eu não vejo apenas uma reportagem na TV, meu olhar é para a forma como foi feita a passagem, a criatividade dos Offs, a letrinha errada no GC. Em muitos casos é insuportável ver uma reportagem! Exatamente porque nos envolvemos como profissionais que somos. Por isso saiba que antes de experimentar é importante saber os efeitos colaterais: jornalismo pode viciar! Espero que tenham gostado do meu depoimento. Até mais!

9 de mar de 2011

Notícias do jornalismo

O apresentador Britto Jr da Rede Record está na mira da Band. A emissora já realizou uma proposta para que o jornalista apresente uma nova tração jornalística.

O quadro “O Cupido” do “Fantástico” da Rede Globo vai ganhar novos episódios. Ao todo, serão produzidos 12 em 2011.

No próximo sábado, você acompanha aqui no blog mais um bate-papo da série de entrevistas especiais. Nesse final de semana, minha entrevistada é a jornalista Juliana Senne da TVBE de Itajaí. Não perca!

Através de uma nova concessão, a RedeTV! pretende continuar com o seu sinal em Campinas. A emissora perdeu a VTV para o SBT no início desse ano.

Rede Globo e Band vão realizar uma cobertura superficial dos Jogos Pan-americanos 2011. As duas emissoras não conseguiram os direitos de transmissão do evento e suas equipes de jornalismo já foram orientadas sobre o assunto. Os jogos serão exibidos com exclusividade pela Rede Record.

5 de mar de 2011

Repórter beija folião durante cobertura

Na noite dessa sexta-feira, uma cena inusitada chamou a atenção dos telespectadores. Durante a cobertura do “Carnatal” no especial “Band Folia”, uma repórter da emissora beijou na boca um dos foliões da festa. Veja o vídeo:

Entrevista: Tiago Scheuer

Tiago Scheuer é conhecido também como Xóia e nasceu em Jaraguá do Sul, no norte de Santa Catarina. Em 2005, concluiu o curso de jornalismo pela Universidade do Vale do Itajaí – Univali.

DM: Quando descobriu que queria fazer jornalismo?
TS: Desde meus sete anos de idade, quando meu pai comprou uma câmera filmadora, eu já fiquei fascinado com a "nova brincadeira". Curtia muito gravar coisas em dezenas de fitas VHS e usar o meu irmão como cinegrafista. Foi uma brincadeira que acabou ficando séria. E que me dá muito prazer até hoje. Não me lembro de ter pensado, com intensidade, em fazer outra coisa da vida na adolescência.

DM: Além de TV, você já trabalhou em que outros meios de comunicação?
TS:
Já trabalhei em rádio. Tanto na rádio da Univali, onde estagiei durante os nove períodos do curso de jornalismo, quanto na Transamérica Pop, em Balneário Camboriú. Foi uma baita bagagem pra encarar o universo da televisão.

DM: Como foi sua passagem pela RICTV Itajaí e pela RICTV Florianópolis? Além disso, como foi sua transferência de uma pra outra?
TS:
Entrei na Record Itajaí em janeiro de 2006 (na época ainda não era RIC) e fiquei por lá até o começo de 2008. Foi uma experiência fantástica, aprendi muito, amadureci e conheci profissionais excelentes! Acabei focando em jornalismo esportivo por um tempo e fui convidado para trabalhar em Florianópolis, assim que houve a implantação da RICTV em Santa Catarina. Na capital, virei repórter exclusivamente de esportes. Cobria muito futebol, com o Avaí e também o Figueirense. Uma época divertida e de novos aprendizados.

Vídeo


DM: Como foi sua experiência na Alemanha e como surgiu o convite?
TS:
Fiz a inscrição para um estágio na Deutsche Welle, emissora internacional de rádio e TV no país. A experiência seria radiofônica, na cidade de Bonn, antiga capital alemã. Através de currículo e portfólio, fui selecionado meses depois. Morei em Bonn e adorei o país. Estudei alemão um ano antes de ir, falo o básico, me viro. O trabalho era em português/inglês. Atuei na redação portuguesa com notícias voltadas aos países lusos da África. Uma experiência enriquecedora e que durou três meses.

DM: Após o seu retorno, surgiu o convite da RBSTV Blumenau. Como foi?
TS:
Ainda estava na Alemanha, terminando o estágio, quando me ligaram pela primeira vez. Aceitei o convite de freelancer dias após chegar ao Brasil. Percebi que poderia ser bom para engrossar a experiência profissional. Trabalho com algumas pessoas que eu já conhecia anteriormente (inclusive duas delas se formaram comigo), então eu fui muito bem recebido e me sinto em casa. O ambiente é ótimo e os profissionais muito competentes.

DM: Hoje, qual é a sua reportagem preferida?
TS:
Hoje em dia gosto muito de fazer comunidade. Reportagens que melhorem a vida de pessoas de alguma forma. Isso me satisfaz, percebo que o jornalismo pode contribuir. Além disso, reportagens que possibilitem criar coisas novas, sempre me instigam. Gosto de me desafiar e de estar em sintonia plena com o cinegrafista o tempo inteiro. Eles são os nossos "olhos". E a reportagem, nada mais é, do que um filminho. Precisa ser "campeã de bilheteria" na hora que está sendo exibida e mexer com o telespectador.

DM: Xóia, como você falou anteriormente, o esporte faz parte da sua carreira. Você se considera um repórter esportivo?
TS:
Gosto muito de fazer matérias de esporte, mas não sei se hoje me considero um repórter exclusivamente esportivo. Até porque não estou só no esporte na RBSTV. Foi uma vertente que surgiu, nunca almejei, mas que agarrei quando tive oportunidade. Gosto de variar, não ter rotina, mas fazer apenas esporte confesso, também é muito tentador.

DM: Desde o início da carreira, qual foi a sua maior gafe?
TS:
Vou contar uma delas. Estava fazendo um "vivo" no jornal da hora do almoço, na época em que trabalhei na Record Itajaí, no shopping da cidade. Entrevistava várias pessoas, era um quadro de "embaixadinhas". Aí fui falar com um dos candidatos e ele disse que fazia mágicas com cartas. Então, desafiei ele a fazer um truque ao vivo. Ele prometeu, sem olhar, adivinhar a carta que eu tirasse do maço. Tirei uma, mostrei pra câmera para que os telespectadores vissem, e devolvi pra ele. Na hora que ele embaralhou e foi me mostrar a carta para que eu confirmasse se era aquela que eu tinha tirado antes, eu não sabia responder! Afinal, mostrei apenas para os telespectadores e esqueci de observar ali, pessoalmente. Eu não sabia onde enfiar a cara. Estraguei a mágica do entrevistado e não tinha mais tempo pra repetir. Ao vivo tem dessas e, mesmo assim, é o que eu mais gosto de fazer na televisão.

DM: Essa foi boa! E Para o futuro, quais são seus objetivos na profissão?
TS:
Pretendo ir além, lapidar ainda mais o meu trabalho, aprender sempre com quem trabalha comigo e observar muito os outros. Ainda almejo atuar em um grande centro.

DM: E qual o recado que você deixa para o leitores do blog sobre o jornalismo.
TS:
Ser jornalista é estar "no ar" 24 horas por dia. Não tem como deixar de ser, mesmo quando você está em casa, descansando. A mania de sempre estarmos ligados, de olho nas situações, ver o que rende futuras reportagens, é constante. É uma profissão cansativa, mas gratificante. Melhor ainda quando é possível aguçar o senso crítico do público sobre determinado assunto.

4 de mar de 2011

Notícias do jornalismo

Essa semana, o jornalista César Filho renovou seu contrato com o SBT. No canal, ele vai permanecer na apresentação do “SBT Repórter”.

Esporte: a Band já definiu a data de estréia do “Band Clássicos”, dia 20 de março. O programa vai resgatar a história do futebol brasileiro. A apresentadora será Daniela Freitas.

Amanhã, você não pode perder o terceiro bate-papo da série de entrevistas aqui do blog. Dessa vez, o meu entrevistado é o repórter da RBSTV Blumenau, Tiago Scheuer. A entrevista está imperdível, não perca!

A coordenadora de jornalismo da TVBE de Itajaí, Juliana Senne já está em férias. Durante seu descanso, Patrícia Dias (foto) é quem apresenta ao vivo a segunda edição do “Jornal da TVBE”.

E a direção da RedeTV! está promovendo mudanças nos principais departamentos da emissora. A partir de agora, esporte e jornalismo estão integrados.

Ainda sobre o assunto: o jornalista Kennedy Alencar assumiu a função de conselheiro editorial da RedeTV!. Na emissora, ele apresenta o "É Notícia".